FERRO E AÇO MACHADO EM ALTO SANTO-CE

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Campanha de Camilo deixa rombo de R$ 11,1 milhões nas contas do PT

DEU NO VALOR ECONÔMICO


Com ajuda de Cid, o petista arrecadou R$ 39,9 milhões, mais do que o dobro de Alexandre Padilha, em São Paulo.


Dados registrados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostram que o Partido dos Trabalhadores acumulou nas disputas estaduais uma dívida de R$ 74,5 milhões, a maior entre os partidos.

O PSDB, que assim como o PT elegeu cinco governadores, registrou um rombo de R$ 9,8 milhões nas campanhas pelo comando dos Estados. Já o PMDB, que foi vitorioso em sete Estados, terá que pagar R$ 7,9 milhões, herdados das campanhas estaduais.

No segundo turno, o maior rombo foi registrado pela campanha do candidato petista Camilo Santana, com R$ 11,1 milhões. Com a ajuda do governador Cid Gomes (PROS), Camilo arrecadou R$ 39,9 milhões, mais do que o dobro recebido pela campanha do petista Alexandre Padilha em São Paulo, derrotado no primeiro turno. No entanto, gastou R$ 51 milhões.

No segundo turno, a dívida da campanha de Camilo soma-se aos R$ 2,4 milhões deixados pela campanha do governador reeleito do Acre, Tião Viana (PT) e aos R$ 2 milhões de Delcídio Amaral (PT), na eleição pelo governo do Mato Grosso do Sul.

A reportagem completa está publicada na edição desta segunda-feira (1) do Valor Econômico.


Luciano Augusto
redação@cearanews7.com.br