FERRO E AÇO MACHADO EM ALTO SANTO-CE

quinta-feira, 19 de março de 2015

Eunício dá o troco e canta vitória com queda de Cid


Derrotado nas eleições de 2014 ao Governo do Estado, o líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira, se viu afrontado no início do ano quando o inimigo político Cid Gomes subiu à rampa do Palácio do Planalto para ocupar o Ministério da Educação. Aos aliados, Eunício confessou: além da queda, coice.

Eunício esperou e, nos tropeços de Cid Gomes, o viu descer a rampa do Planalto em menos de três meses de cargo. O peemedebista, também, deu um grande empurrão para a queda do ex-governador do Ceará. Com aliados do Ceará e de Brasília, o líder do PMDB trabalhou para deputados federais encurralarem o ministro da Educação.

A estratégia funcionou. Quem acompanhou com a atenção os pronunciamentos dos deputados federais André Moura (PSC-SE) e do Cabo Sabino (PR-CE), durante os esclarecimentos do Ministro Cid Gomes no Plenário da Câmara Federal, sentiu o dedo do líder peemedebista. As perguntas e acusações contra Cid estiveram sempre presentes no discurso do hoje adversário Eunício Oliveira.

Além do conflito direto no Ceará, o líder do PMDB encontrou apoio entre os aliados no Senado, na Câmara Federal e no comando nacional do seu partido para fragilizar ainda mais o ministro Cid Gomes. Eunício esperou a derrapada do ex-governador cearense que, ao visitar a cidade de Belém e falar para estudantes e professores, chamou parlamentares de achacadores.

As declarações, que ganharam a mídia e irritaram os deputados federais, caíram como bandeja para a cabeça de Cid Gomes ser cortada do Ministério de Dilma Rousseff. Não deu outra. Em menos de três meses, Cid Gomes deixa um dos mais importantes ministérios do Governo Federal.

Ceará Agora