FERRO E AÇO MACHADO EM ALTO SANTO-CE

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Chuva em torno da média não deve alterar quadro de estiagem pelo 4º ano seguido

O baixo índice pluviométrico registrado desde janeiro, mesmo que nos próximos meses as chuvas fiquem em torno da média, caracteriza mais um ano de seca no Estado do Ceará

Estiagem
A distribuição das chuvas no Ceará caminha pra configurar mais um ano crítico de seca 
 
A Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) elaborou prognóstico climático para os meses de maio, junho e julho no Ceará. A maior probabilidade  é para chuvas em torno da média. Entretanto, os meteorologistas da instituição ressaltam que, por se tratar do período em que as chuvas começam a diminuir no Estado, mesmo se atingirem os índices da média histórica, elas não devem reverter os danos causados pela estiagem, pois se trata de um trimestre com precipitações reduzidas.
A média somada dos próximos três meses é de 142,8 milímetros (89,9mm em maio, 37,5mm em junho e 15,4mm em julho). Esse índice é bem inferior, por exemplo, à média do trimestre fevereiro, março e abril, que é de 517,6mm. “Essa nova previsão aponta para o último mês da quadra chuvosa e para a pós-estação chuvosa. Na climatologia do Ceará, é um período de diminuição das precipitações”, explica o meteorologista Raul Fritz.
Segundo ele, em maio, a Zona de Convergência Intertropical ainda pode fazer chover no Estado e também nesse mês começarão as precipitações causadas pelos Distúrbios Ondulatórios de Leste ou Ondas de Leste, cuja atuação permanece até julho e atinge principalmente a faixa litorânea e a Região Jaguaribana. “Ainda choverá, mas mesmo se forem em torno da média, os acumulados das precipitações devem ser mais baixos nos próximos meses”.


 

Ano seco
Faltando dois dias para o fim de abril, a distribuição das chuvas no Ceará caminha pra configurar mais um ano de seca, que seria o quarto seguido. A Funceme havia previsto, no fim de dezembro, que as precipitações entre janeiro e março ficariam abaixo da média e foi o que aconteceu. Choveu 305mm nos três primeiros meses do ano e a média do período é de 432mm, o que caracteriza desvio negativo de 29,4%.

A Funceme também previu maior chance de chuvas abaixo da média no trimestre fevereiro, março e abril. Para este período, a média é de 517,6mm e choveu 398,8mm. Parcialmente, pois abril ainda não terminou e os dados não foram consolidados, o desvio desse trimestre está negativo em 23%.

Previsão para próximos dias
Continua a chover pouco no Estado. Nesta terça, apenas dez municípios registraram precipitações, conforme atualização no site da Fundação, às 7h45 desta manhã.

De acordo com a Funceme, a diminuição das precipitações é por conta da "pouca nebulosidade em grande parte do Ceará. Maior nebulosidade na região noroeste do Ceará".
Previsão para o restante do dia é de "céu com nebulosidade variável e com eventos de chuvas isoladas no norte e centro. No sul do Estado, céu parcialmente nublado. Para amanhã, "céu com nebulosidade variável e com eventos de chuvas isoladas no norte. No centro, possibilidade de chuvas isoladas. No sul, céu parcialmente nublado. Para esta sexta-feira, "chuvas isoladas no norte do estado. Céu parcialmente nublado no centro e possibilidade de chuvas isoladas no sul do Ceará".

*Abaixo, confira as seis maiores chuvas nas últimas 24h, segundo a última atualização da Funceme, às 7h45 desta manhã
 
- Reriutaba: 17.0 mm
 
- São Gonçalo Do Amarante: 12.5 mm
 
- Fortaleza: 8.0 mm
 
- Pacatuba: 6.4 mm
 
- Aquiraz (Posto: Sitio Sapucaia Fagundes) : 6.0 mm
 
- Frecheirinha (Posto: Frecheirinha) : 5.0 mm
 
DN