FERRO E AÇO MACHADO EM ALTO SANTO-CE

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Milhã-CE: Vereadores de oposição se negam votar projeto e precisam da polícia para sair da Câmara Municipal

A sessão que trataria sobre a votação do projeto de dotação orçamentária, que seria a liberação de recursos para o pagamento de fornecedores e pessoal terminou em tumulto, após mais uma desaprovação por parte dos vereadores de oposição de Milhã.

Em sessão extraordinária na Câmara Municipal de Milhã na manhã desta terça-feira, 14, a presidente daquela casa, vereadora Tatiana Machado, agindo ilegalmente terminou a sessão de forma equivocada. Segundo o vereador, Valdir Isidoro (situação) a Comissão de Justiça e Redação ela só poderia dar o parecer após emitido o parecer da Comissão de Justiça Finanças e Orçamento que tem como presidente o vereador, Sivando Pinheiro, o que não aconteceu, não tinha relatório da segunda comissão citada, somente da primeira, o que segundo o vereador Valdir Isidoro mostra que a bancada de oposição agiu irresponsavelmente "pulando" uma etapa do projeto.

A sessão terminou em tumulto e precisou de policiamento de Milhã e cidades vizinhas para "escoltarem" os vereadores de oposição na saída da Câmara Municipal. Alguns serviços básicos como limpeza de rua já está comprometida, devido a não aprovação deste projeto de dotação orçamentária, na sessão de hoje pressionados pela ausência da vereadora Rosimeire Lopes, (o que ocasionariam uma possível derrota na hora da votação) os vereadores, Alzivam Pinheiro, Ecivando Pinheiro. Aurcélio Pinheiro e Tatiana Machado mais uma vez foram contra o povo.

Houve uma tentativa de dialogo entre os vereadores de situação e oposição sobre uma possível porcentagem bem abaixo dos 20% solicitadas pelo prefeito, só que os opositores se negaram a qualquer acordo, e continuaram por horas encurralados dentro da Câmara Municipal e o povo os esperando do lado de fora.

Mais uma vez fica prejudicado fornecedores e pessoal da Prefeitura de Milhã, dinheiro tem em caixa, segundo o tesoureiro, Leoneudo Alves, só que necessita dessa aprovação por parte dos vereadores para que possa ser feito o pagamento. 



DIVULGA MILHÃ