FERRO E AÇO MACHADO EM ALTO SANTO-CE

terça-feira, 9 de junho de 2015

Morre o Deputado Estadual Wellington Landim



Faleceu na manhã desta terça-feira o deputado estadual Welington Landim, de 59 anos. Ele estava internado desde o último dia 31 de maio, após sofrer um desmaio na cozinha de sua residência. O deputado foi encontrado por seu filho Guilherme Landim, prefeito de Brejo Santo, e levado ao Hospital São Mateus (Fortaleza), onde estava na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Segundo a equipe médica Landim contraiu uma meningite bacteriana.

Em boletim divulgado na terça-feira, 2, os médicos afirmaram que o paciente havia apresentado uma “pequena melhora”.  Mas a assessoria do deputado informou que, apesar dos riscos, a doença avançava muito lentamente e demoraria para um estágio de infecção cerebral.

Segundo a assessoria de Landim, antes de sua internação, o deputado apresentou um quadro de gripe e no fim de semana reclamou de mal estar. Após a internação os médicos descartaram trombose ou acidente vascular cerebral e diagnosticaram uma infecção provocada por bactéria. A morte do deputado foi anunciada na Assembleia Legislativa e a sessão foi levantada. Na Câmara Municipal de Fortaleza houve um minuto de silêncio em homenagem ao deputado.

Formado em medicina, o deputado estadual Welington Landim exercia, atualmente, o quinto mandato na Assembleia Legislativa. A primeira eleição parlamentar foi em 1994. Antes de chegar à Assembleia, Welington Landim, com o estímulo e apoio do então governador e hoje senador Tasso Jereissati, conquistou, em 1988, a Prefeitura de Brejo Santo pelo PMB (Partido Municipalista Brasileiro) – sigla alternativa ao PMDB na segunda metade da década de 80.

Landim fez parte, nos anos 80 e 90, de uma nova geração de políticos que nasceu após a com a chegada de Tasso ao comando político do Ceará.  Ele não votou, nas eleições de 1986, em Tasso, mas foi visto pelo então coordenador político e Secretário de Governo na primeira gestão tassista, Sérgio Machado, como um nome que poderia significar renovação na Região do Cariri.

A estratégia de Machado deu certo e Welington, ao ser eleito prefeito de Brejo Santo, criou, com o respaldo do Palácio do Cambeba, a AMCOESTE (Associação dos Municípios do Cariri Oeste). Era uma articulação para romper a hegemonia do Crajubar (Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha) que tinha influência, pelas mãos do ex-governador Adauto Bezerra e do então deputado federal Mauro Sampaio, na Região Sul do Ceará.

Cumprido o mandato de prefeito, Welington Landim sai da Prefeitura como referencial de bom gestor e construía o caminho para, em 1994, chegar à Assembleia Legislativa. Ressalta-se que, ainda, como prefeito, Welington seguiu os passos de Tasso Jereissati fundando, em 1989, o PSDB. A sintonia com o Palácio do Cambeba era estreita e Landim se tornou um dos homens mais próximos ao grupo liderado por Tasso Jereissati que, no dia primeiro de janeiro de 1995, assumiu o segundo mandato de Governador do Ceará.

A lealdade ao Governo Tasso permitiu ao líder político de Brejo Santo assumir, no biênio 1997-1998, o importante cargo de Primeiro Secretário da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa. A Mesa tinha como presidente o tucano Luiz Pontes que, em 1998, foi eleito senador. No mesmo ano,  Welington Landim se reelege deputado estadual e, em 1999, assume o comando da Assembleia Legislativa.

O cargo de presidente abria caminhos para novos passos e desafios na política e, também, para os primeiros conflitos com o governador reeleito Tasso Jereissati. Welington cumpriu o primeiro mandato de presidente da Assembleia Legislativa, conquistou o apoio da maioria dos colegas parlamentares e,  em 2001, garantiu a reeleição na direção do Legislativo.

Com a caneta na mão, Welington Landim foi estimulado a romper com o PSDB para se lançar, em 2002, candidato a governador. Os conselhos nessa direção foram aceitos e Welington rompeu com Tasso que o lançara como nova liderança política no Cariri e trocou o PSDB pelo PSB. Em 2002, Welington entrou na aventura de concorrer ao Governo do Estado e terminou a eleição em quarto lugar, perdendo para Lúcio Alcântara, José Airton Cirilo e Sérgio Machado. No mesmo ano, porém, elegeu a mulher, Gislaine, deputada estadual.

Em 2006, Welington, integrante do grupo político do então candidato ao Governo pelo PSB, Cid Gomes, voltou à Assembleia Legislativa, reelegendo-se nas eleições de 2010 e 2014. Em 2008, elege o filho……..Ao longo dos dois mandatos de Cid Gomes,  Welington tentou voltar à Presidência da Assembleia Legislativa, mas não recebeu apoio dos irmãos Ferreiras Gomes. Chegou a ser sondado para o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), mas optou por continuar na Assembleia Legislativa.

Ceará Agora