FERRO E AÇO MACHADO EM ALTO SANTO-CE

quarta-feira, 8 de julho de 2015

BAIXO JAGUARIBE: Cientistas dos EUA dividem experiência contra seca intensa no Ceará



Cientistas dos EUA dividem experiência contra seca intensa no Ceará 
A escassez de água e as consequências na produção agrícola cearense estão entre os maiores desafios enfrentados por governantes dos últimos anos no Ceará. No entanto, uma experiência inédita no Brasil promete iniciar um novo cenário a ser vivenciado no Estado, mais precisamente no Médio e Baixo Jaguaribe. O “Estudo técnico para a alocação de água destinada à irrigação”, financiado pela Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), tem, entre os objetivos, definir critérios para o uso da água e realizar o monitoramento climático, servindo também como forma de assessoramento ao agricultor. Para dar início ao projeto, o chefe do gabinete do Governo do Estado do Ceará, Elcio Batista, recebeu, ontem, pesquisadores da Califórnia, Estados Unidos, no Palácio da Abolição.
Durante a reunião, Richard Snyder, pesquisador da Universidade da Califórnia, Davis (UCDavis) e um dos criadores do Sistema de Informação para o Manejo da Irrigação na Califórnia (CIMIS), e Cayle Little, engenheiro da Divisão da Gestão Integrada das Águas do Departamento de Recursos Hídricos da Califórnia (DWR), apresentaram as ações realizadas pelo DWR para o gerenciamento da crise hídrica atual e a importância do CIMIS que, desde a sua criação, em 1982, vem contribuindo para o uso racional da água na agricultura naquele estado americano.
O objetivo da visita é iniciar um estudo de readequação, tendo como referência o CIMIS, do Sistema de Informações para o Manejo da Irrigação no Ceará (SIMIC), rede integrada de estações que foi constituída em 1999 a partir de um Projeto Piloto implementado pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), mas que ficou em fase de testes.

Exemplo
O presidente da Adece, Ferruccio Feitosa, ressalta a importância do estudo, que poderá servir de exemplo para outros estados brasileiros. “A experiência é inédita no País é dará um novo norte para o manejo da água na agricultura do Ceará. O que os pesquisadores californianos vão compartilhar conosco é uma realidade com resultados bastante satisfatórios, podendo ser propagada em todo o Brasil. Na prática, a distribuição da água será baseada na real demanda hídrica das culturas”, destaca.
A Califórnia é o estado americano com maior Produto Interno Bruto (PIB) e, na produção agrícola, enquadra-se como referência mundial. Assim como o Ceará, a localidade vem sofrendo sérios problemas econômicos causados pela seca, que impacta fortemente o desempenho no meio rural. O CIMIS, elaborado pela UCDavis e gerenciado pelo DWR, deu um grande retorno econômico, modificando positivamente o cenário da agricultura irrigada da Califórnia e servirá de espelho para as ações implementadas em solo cearense.
O estudo que fará a integração entre a experiência californiana e o sistema já existente no Ceará é uma articulação da Adece, após uma demanda apresentada pela Funceme, Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), Secretaria da Agricultura, Pesca e Aquicultura (Seapa) e Câmara Setorial de Frutas. O Instituto Centro de Ensino Tecnológico (Centec) será o executor do projeto. O projeto tem previsão de ser concluído em setembro deste ano, quando será entregue à Seapa, Cogerh e Funceme para início da execução.

O Estado CE