FERRO E AÇO MACHADO EM ALTO SANTO-CE

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

“Fiquei com medo e me tremia todinha”, diz idosa de 80 anos presa Por não pagamento de pensão e pede ajuda para pagar dívida



Dona Luiza dos Santos afirma que perdoa o filho e tem medo de voltar a passar por tudo novamente. Ela vai fazer um empréstimo.

 As marcas do constrangimento na vida da aposentada Luiza Luiz dos Santos, 80 anos, vão demorar para serem sanadas. Ela foi presa na última terça-feira, 24, não que tenha praticado qualquer ilícito penal, mas pagou pelo erro do filho Otacílio Luiz dos Santos.


O filho deixou de pagar a pensão alimentícia do filho de 16 anos, desde 2013, o valor foi acumulando e chegou a R$ 2.278,00 reais. O juiz que responde pela Comarca de Choró decretou a prisão Otacílio Luiz dos Santos, como não foi encontrado, o efeito recaiu sobre a mãe, assim como manda a lei.
 

Mesmo debilitada e doente, foi levada a Delegacia Regional de Polícia Civil de Quixadá, a situação comoveu até os policiais. A doença se agravou a aposentada foi levada ao Hospital Dr. Eudásio Barroso.

Desesperado, o outro filho, Tarciso Luiz dos Santos, 62, conseguiu o valor de R$ 1.000,00 reais emprestados, conseguindo negociar com a mãe do menor. O restante, no valor de R$ 1.278,00 foi parcelado em 10 vez. Até agora, eles contam que não receberam nenhuma doação e pede ajuda a população.

Dona Luiza Luiz dos Santos vive na localidade de Canafístula, zona rural do município de Choró.  Ela recebe um salário mínimo, a metade gasta com medicamento. A ancião vai ter que fazer um empréstimo consignado para não voltar a ser presa.

Em entrevista ao portal Revista Central, aposentada conta os detalhes, por sinal, comoventes. Ela que já passou por muitas necessidades, cita que esse foi o pior momento de sua vida. Nos últimos dias, não come direito, fica direto pensando naquele momento constrangedor. “Fiquei com medo e me tremia todinha”.

 Assista o depoimento da dona Luiza Luiz dos Santos








     Até à tarde dessa quinta-feira, 26, a idosa estava em prisão domiciliar, mas como fez o acordo, os efeitos foram exauridos para a sua felicidade. “Agora eu vou voltar para o meu sertão e ficar ao lado de meu vei”

 Mesmo passando por tudo isso, disse que perdoa o filho, “acho que ele não paga porque não tem condições. Eu perdoou, é meu filho, não vou ficar com raiva de meu filho”

 Na quarta-feira, 25, o juiz converteu a prisão civil, em prisão civil domiciliar, mas na tarde dessa quinta-feira, 26, os efeitos foram exauridos para a sua felicidade, tendo em vista o acordo. “Agora eu vou voltar para o meu sertão e ficar ao lado de meu vei”.

Qualquer pessoa que quiser colaborar com essa senhora, uma conta poupança foi disponibilizada pela família.


FONTE: Revista central