FERRO E AÇO MACHADO EM ALTO SANTO-CE

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Limoeiro na UTI: “Perco o emprego, mas, não perco a dignidade” disse a enfermeira chefe ao entregar o cargo.



A situação debilitada com que se encontra a saúde pública do nosso país, é fato inconteste, todavia, até onde é justificável políticos quererem se projetar usurpando a dignidade de profissionais que se dedicam de forma abnegada para fazer valer o seu ofício, em contra ponto, gestores querem a todo custo manter determinados serviços simplesmente por barganha politiqueira, muitas vezes em cima do suor dos trabalhadores, esse lamentável episódio possivelmente vem acontecendo em Limoeiro no Hospital Regional Dr. Deocleciano Lima Verde.


Diante desse deplorável caso, a chefe dos enfermeiros(as) e técnicos em enfermagem, Carla Geanne Saraiva Costas, tem mestrado em auditora na área de saúde, esteve auditora, nos últimos 5 anos e há 3 meses a função de enfermeira chefe, comunicou ao executivo, que não mais interessaria trabalhar naquela unidade de saúde. Conforme informações chegada a redação da TV Jaguar, alguns profissionais do hospital, estão há 8 meses sem receber salário, diante do exposto, representantes do prefeito municipal, reuniu-se com a categoria e fecharam um acordo, onde, os profissionais (Técnicos e Enfermeiros), continuariam trabalhando atendendo apenas os casos de emergência e urgência, até que o prefeito pagasse os salários que há vários meses estão em atraso, entretanto, possivelmente representantes do prefeito, passaram a coagir de forma inescrupulosa (assédio moral) aos referidos profissionais, pressionando-os a voltar a fazer o atendimento integral, quebrando assim, o acordo coletivamente com a categoria.


Essa arbitrária atitude afirmada pelo nosso informante, foi considerada pela chefe da enfermagem do referido Hospital, como sendo um ato  extremo, deselegante e de falta de consideração para com os profissionais que ali arriscam suas vidas com muito profissionalismo e amor a todos os pacientes, atendidos diuturnamente naquela unidade, “Perco o emprego, mas, não perco a minha dignidade”. Com esse desabafo, a enfermeira chefe preferiu manter sua dignidade como profissional e para com os colegas à se submeter ao expediente proposto pela prefeitura municipal de Limoeiro do Norte. Com a palavra o gestor ou o seu representante legal. Tenho dito!


Por: Marfreitas
Postado: TV Jaguar