FERRO E AÇO MACHADO EM ALTO SANTO-CE

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Chove em 146 municípios do Ceará; Alto Santo choveu 48.2 mm




As chuvas continuam a regar os sertanejos de esperança. Segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) choveu em 146 municípios entre as 7h de quarta­feira e 7h de ontem.
O maior volume foi registrado em Crateús, 166mm. O índice é também o maior já verificado neste ano. Em outros dez municípios, as precipitações também superaram os 100mm, o que não ocorria desde 10 de janeiro de 2011, quando 13 municípios passaram dos 100mm.

O meteorologista da Funceme Raul Fritz explica que as chuvas têm sido provocadas por um Vórtice Ciclônico de Altos Níveis (VCAN), fenômeno comum na pré­estação, com intensidade que varia de um ano para o outro. Ele ressalta que, neste ano, o VCAN tem atuado com elevada intensidade. Em 2015, o maior volume apontado durante todo o mês foi em Beberibe, quando choveu 115mm, no dia 4.

Segundo a Funceme, os volumes somados nos 21 primeiros dias do ano já são bem superiores ao mês de janeiro de 2015, quando ficou 71,9% abaixo da média, que é de 98.7mm. "Em 2016, a média está em 119.3mm, um desvio positivo de 20.9%", acrescenta. Vale lembrar que, no dia 20 de novembro de 2015, a Funceme divulgou prognóstico para o trimestre dezembro (2015), janeiro e fevereiro (2016) apontando 69% de probabilidade de chuvas abaixo da média, 23% em torno da média e 8% acima da média. Apesar dos elevados volumes, Fritz lembra que as precipitações deste mês não possuem relação com a quadra chuvosa (fevereiro, março, abril e maio), cujo prognóstico divulgado na quarta­feira (20) apontou 65% de probabilidade de chuvas abaixo da média. A Funceme prevê para hoje e amanhã nebulosidade variável, com possibilidade de chuva em todas as regiões. 

Açudes voltam a subir As chuvas dos últimos dias contribuíram para que o nível médio dos 153 açudes monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) subisse discretamente, saltando novamente para os 11,9% da capacidade total. A Cogerh registrou aporte em 50 reservatórios, destacando­-se Angicos, Aracoiaba, Araras, Arneiroz II e Pedras Brancas. Este aporte permitiu que o Açude Realejo deixasse o volume morto e que os açudes Parambu, São José III, Tijuquinha e Trici deixassem de estar secos. Apenas o açude Caldeirões, em Saboeiro, entrou em sangria. Ao todo, 136 reservatórios ainda estão com capacidade inferior a 30%, 38 estão no nível morto e outros 39, considerados secos. Mais informações: Funceme: (85) 3101­1117 Cogerh: (85) 3218­7024.

Diário do Nordeste