FERRO E AÇO MACHADO EM ALTO SANTO-CE

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Professores do Ceará mantêm greve em nova assembleia



Paralisação da categoria em todo o estado chega a 45 dias. Professores são contra a falta de reajuste geral para os servidores.
Professores decidiram manter a greve em assembleia ocorrida no Ginásio Paulo Sarasate, em Fortaleza (Foto: Apeoc/Divulgação)

Os professores da rede estadual de ensino do Ceará, que paralisaram as atividades há 45 dias, decidiram manter nesta quarta-feira (8) a greve em assembleia. De acordo com o sindicato Apeoc, a decisão ocorre porque "os profissionais rechaçaram a atitude do Governo de não oferecer reajuste geral aos servidores públicos".
A nova assembleia foi realizada no Ginásio Paulo Sarasate, emFortaleza, e contou com a presença de cerca de 1.400 professores da rede estadual.
Reivindicações
Além do aumento de 12,67%, os grevistas reivindicam uma melhoria das condições de ensino e trabalho na rede estadual, o aumento da verba para merenda escolar, realização de novos concursos públicos e ampliação da rede de atendimento do ISSEC.
A greve afeta cerca de 445 mil alunos, maioria no ensino médio, em aproximadamente 700 escolas. No Ceará, há cerca de 13.800 professores efetivos e 10 mil temporários.
A Justiça decretou a ilegalidade da greve, que começou em 25 de abril, e determinou o fim das paralisações. O sindicato afirma que recorreu da decisão.