FERRO E AÇO MACHADO EM ALTO SANTO-CE

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Avião com a equipe da Chapecoense cai e deixa mais de 70 mortos


Uma tragédia deixou o Brasil de luto na madrugada desta terça-feira (29). O avião que levava a equipe da Chapecoense para a Medellín, na Colômbia, caiu nas proximidades da cidade deixando pelo menos 75 mortos, segundo as últimas informações das autoridades colombianas. O avião tinha 81 pessoas a bordo, sendo 72 passageiros, entre delegação e jornalistas, e 9 tripulantes.

Seis pessoas sobreviveram: o lateral-direito Alan Ruschel (Alan Luciano Ruschel), o goleiro reserva Follmann (Jackson Ragnar Follmann), o zagueiro Neto (Helio Hermito Zampier Neto) e o jornalista Rafael Henzel, além dos tripulantes Erwin Tumiri e Ximena Suárez. O goleiro Danilo (Marcos Danilo Padilha), herói da classificação à final da Copa Sul-Americana, foi resgatado com vida pelos bombeiros, mas morreu no hospital por voltas das 9h30 (horário de Brasília).
  
A Chapecoense faria, amanhã, o primeiro confronto da decisão da Copa Sul-Americana com o Atlético Nacional, no que seria a maior partida da história do clube de Santa Catarina. A Confederação Sul-Americana já cancelou a partida e se colocou à disposição dos envolvidos. Uma das possibilidades é o avião ter sofrido pane elétrica. Os sobreviventes estão sendo levados para dois hospitais da região próxima ao aeroporto Jose Maria Córdoba, em Rionegro, nas imediações de Medellín, um deles é o San Juan de Dios.


O avião seguia para Medellín, mas chovia na região. Há a possibilidade de a aeronave ter sofrido pane seca também. Equipes de socorros confirmaram para as agências de notícias que há sobreviventes e eles estão sendo resgatados por cerca de 500 profissionais colombianos. O acesso ao local da queda é difícil. O avião não explodiu, de acordo com informações dos paramédicos

Danilo e Alan Ruschel momentos dentro do avião antes da decolagem. Eles sobreviveram Reprodução Internet

De acordo com a imprensa local ainda, o avião perdeu contato com a torre de controle às 22h15 (1h15 de Brasília). O SOS foi emitido entre as cidades de Ceja e Lá Unión. O avião, de matrícula CP2933, fez uma parada em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, depois de decolar do Brasil. As primeiras vítimas resgatadas já foram levadas para o hospital.



Na emergência do voo, o piloto teria aberto os tanques de combustível para evitar a explosão da aeronave na queda. A região do acidente é montanhosa. O avião teria caído a apenas 25 quilômetros da cabeceira da pista do aeroporto de destino.
A Chapecoense emitiu uma nota. "Em função do desencontro das notícias que chegam das mais diversas fontes jornalísticas, dando conta de um acidente que transportava a delegação da Chapecoense, a associação esportiva, através de seu presidente Ivan Tozzo, reserva-se o direito de aguardar o pronunciamento oficial da autoridade aérea colombiana, a fim de emitir qualquer nota sobre o acidente. Que Deus esteja com nossos atletas, dirigentes, jornalistas e demais convidados que estão juntos com a delegação".