FERRO E AÇO MACHADO EM ALTO SANTO-CE

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Acusado de latrocínio de empresário limoeirense é preso em São Paulo



Um dos acusados de matar o empresário Rosivan Diógenes Pinto, no dia 15 de novembro de 2015, foi preso, na madrugada desta terça-feira (3), no Distrito de Capão Redondo, na Zona Sul de São Paulo. De acordo com informações da Assitência Operacional da 6ª Delegacia Seccional de Santo Amaro, Victor Santos de Araújo foi capturado depois de uma denúncia anônima.


Acusado de latrocínio de empresário limoeirense é preso em São Paulo


Conforme os investigadores que participaram da ação, Araújo estava na casa em que vivia com a companheira. “A informação chegou dando conta do endereço em que ele estava. Fizemos alguns levantamentos e confirmamos que realmente havia um mandado de prisão em aberto contra ele. Fomos até o local e conseguimos prendê-lo”, informou o agente que se identificou apenas como Caio.

Na delegacia, ele confessou ter participado do crime e disse que foi convidado a matar o empresário pela dona do bar, onde o latrocínio aconteceu. Segundo ele, Francilene Carneiro disse que ele podia ficar com parte do dinheiro da vítima e com a motocicleta, depois que ocorresse o assassinato.
A Polícia de São Paulo já entrou em contato com a do Ceará informando sobre a prisão do acusado. “Estamos realizando todos os procedimentos da captura dele. A princípio, deve ficar preso em uma Cadeia de São Paulo, mas logo deve ser recambiado para o Ceará”, afirmou Caio.
Em fotos divulgadas em redes sociais, Victor Araújo aparecia ao lado da companheira frequentado festas, bares e clubes de boliche. Em algumas mostrava armas de brinquedo. 

O irmão da vítima, Rosinaldo Diógenes, disse que a família recebeu a notícia na manhã desta terça. “Estamos felizes que o último acusado tenha sido preso. Ele foi muito cruel. Matou uma pessoa boa, trabalhadora, honesta. Segundo os outros envolvidos disseram à Polícia, foi o Victor que degolou meu irmão. Foi ele que realmente executou o crime. É uma pessoa muito perigosa”, afirmou.
Segundo Diógenes, o processo está andando e uma audiência para ouvir uma testemunha está marcada para o próximo dia 12 de janeiro. As outras duas pessoas que teriam participado do latrocínio e foram presas pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), logo após o caso, continuam encarceradas. Ainda não há data marcada para o julgamento dos acusados.

O irmão de Rosivan diz que a família espera que seja feita Justiça. “Meus pais nunca se recuperaram desta perda. Minha mãe chora todos os dias. É uma situação muito difícil. Todos os dias neste ano eu pensei nesse homem solto por ai tendo a chance de fazer outras famílias chorarem como ele fez a minha. Com esta prisão tão importante esperamos que a Justiça faça cumprir os anos de prisão que eles merecem”.


Relembre o caso

Uma comerciante identificada como Francilene Carneiro teria armado a morte do empresário Rosivan Diógenes Pinto, 45. Ele foi executado a facadas em um bar, na Avenida Dioguinho, no bairro Cça e Pesca, mas o corpo só foi encontrado no dia seguinte, na Rua Professor Valdevino, no bairro Sabiaguaba, com vários sinais de tortura.

Francilene Carneiro confessou o crime. Ela estaria devendo um circuito interno de imagens que havia comprado a Rosivan Pinto há três meses. No dia 15, ele teria ligado fazendo uma cobrança e a mulher pediu que ele passasse à noite em seu bar, mas quando ele chegou ao local foi atacado pelos dois garçons. Francisco Júlio Liberato de Sousa foi localizado no bairro Jurema, em Caucaia e também afirma ter particiapdo do roubo seguido de morte.


Via Diário do Nordeste