FERRO E AÇO MACHADO EM ALTO SANTO-CE

quinta-feira, 30 de março de 2017

Cerca de 50 alunos são hospitalizados após suposta intoxicação alimentar em Russas




A Escola Estadual de Educação Profissional Professor Walquer Cavalcante Maia oferta cursos técnicos em Administração, Comércio, Enfermagem, Informática, Massoterapia e Rede de computadores. ( FOTO: REPRODUÇÃO/FACEBOOK )
Cerca de 50 alunos da Escola Estadual de Educação Profissional Prof. Walquer Cavalcante Maia, localizada na cidade de Russas, foram encaminhadas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) após suposta intoxicação alimentar após ingestão da comida fornecida pela cantina da instituição.

De acordo com o diretor da escola, Francisco Tadeu Valente, os estudantes se alimentarem de panqueca de frango durante o almoço e, horas depois, começaram a reclamar de mal estar. Com sintomas de intoxicação, os alunos afetados foram encaminhados para o hospital da cidade onde receberam os primeiros socorros com soro fisiológico.

Logo após o ocorrido, a direção da EEEP Prof. Walquer Cavalcante Maia convocou a empresa responsável pelo fornecimento da comida, JM Comercial, para uma auditoria nos alimentos. Além da empresa, profissionais da Vigilância Sanitária estiveram na escola para coletar amostras da comida e realizar a inspeção em laboratório.

O estudantes que foram hospitalizados já receberam alta e voltaram às aulas normalmente. Nesta quinta, a alimentação será diferente, pois de acordo com o cardápio pré-definido, já estava prevista outra alimentação. O Diário do Nordeste entrou em contato com a empresa, mas os representantes não foram localizados.

Apuração
Por meio de nota, a Secretaria da Educação (Seduc) informou á reportagem que está apurando o ocorrido e que a escola presta assistência aos alunos. Além disso, a Seduc está disponibilizando uma nutricionista na unidade escolar para esclarecer o fato e dar os devidos encaminhamentos.
Para evitar danos á saúde dos estudantes, a Seduc informou, ainda, que a escola realiza a coleta de amostras de todas as refeições servidas, como procedimento de rotina. Já a amostra recolhida na tarde desta quarta-feira (29) já foi encaminhada a um laboratório de análises microbiológicas, para que seja identificada a causa do problema.

Notificação
Caso seja constatada irregularidade, a empresa fornecedora da alimentação será notificada e deverá reorganizar sua metodologia de trabalho. A empresa foi contratada mediante pregão, promovido pela Procuradoria-Geral do Estado do Ceará (PGE), seguindo todos os termos de referência elaborados por nutricionistas da Seduc. 
A Secretaria da Educação reitera que os estudantes receberam assistência imediata da escola e foram acompanhados ao hospital municipal e à Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Os alunos afetados receberam alta ainda na tarde desta quarta-feira.

FONTE: DN