FERRO E AÇO MACHADO EM ALTO SANTO-CE

terça-feira, 22 de maio de 2018

Falta de moradia e reintegração de posse, um verdadeiro dilema de famílias em Potiretama.




Falta de moradia e reintegração de posse, um verdadeiro dilema de famílias em Potiretama.

Aproximadamente 56 famílias vivem um verdadeiro dilema no município de Potiretama, município distante 285 KM da Capital Fortaleza, contando com uma população de 6.129 habitantes, segundo dados do IBGE/2010. Possível reintegração de posse de casas ocupadas por 56 famílias no município de Potiretama, está para se concretizar. Famílias que entraram nas referidas casas, na Semana Santa. São famílias que vivem em vulnerabilidade, de baixa renda, sem emprego e que viviam pagando aluguel, porém como a situação financeira delas pioraram nos últimos tempos, se sentiram obrigadas a entrar nessa área, em que existem casas de Programas Habitacionais.  
Desde 2010 foram construídas algumas casas do referido conjunto habitacional, não finalizadas, fazendo com que ficassem inacabadas, impossibilitando totalmente a entrega das mesmas à população. Então as famílias se sentiram obrigadas, por obterem naturalmente, o direito fundamental e constitucional de possuir um teto. Com esse entendimento, e pela extrema necessidade, ocuparam o conjunto habitacional.

Segundo o Pe. Djavan Fernandes, pároco em Potiretama, existe a informação de que a própria gestão municipal fez um pedido de reintegração de posse, e que possivelmente aconteça na quarta-feira dia 23 de maio, por isso ele como representante cristão, juntamente com a Caritas Diocesana, estão se mobilizando para que toda a população do Vale Jaguaribe tome conhecimento, e unam forças em prol das famílias, que estão na ocupação, em buscando não de atritos, porém estão lutando por um direito básico e fundamental que é a sua casa.
Pe. Djavan Fernandes relata ainda, que já foi feito um cadastro, o problema é que às vezes o cadastro desaparece, e que segundo ele, a administração pública municipal, não se pronuncia, ou que o diálogo entre as partes ao menos é concretizado por falta de interesse da própria administração.


Segundo o padre Djavan Fernandes, todas as famílias da ocupação, são carentes, e naturais do próprio município, onde a grande maioria sobrevive com apenas R$ 250,00 mensal, dinheiro oriundo de bolsa família ou demais benefícios sociais, e que grande parte é para o sustento de famílias com 2 ou três crianças ou para pagar aluguel e as demais necessidades naturais de qualquer ser humano.  Ainda segundo o Pe. Djavan Fernandes, a Paróquia foi quem começou a articulação, buscando unir forças com a população local, do Vale do Jaguaribe, para trazer mais dignidade a todos os ocupantes do Conjunto Habitacional em Potiretama, e que não se concretize assim a reintegração de posse por parte da prefeitura municipal, onde trará mais humilhações das que já vem acontecendo com a situação vivenciada por todos no município nessa ocupação.


Fonte. TV Jaguar